TPL_GK_LANG_MOBILE_MENU
A+ A A-

Deprecated: Non-static method Joomla\CMS\Application\SiteApplication::getMenu() should not be called statically, assuming $this from incompatible context in /home/gwcomuni/public_html/templates/gk_news/lib/framework/helper.layout.php on line 181

Deprecated: Non-static method Joomla\CMS\Application\CMSApplication::getMenu() should not be called statically, assuming $this from incompatible context in /home/gwcomuni/public_html/libraries/src/Application/SiteApplication.php on line 275

PSB oficializa Daniel do Sindicato como candidato, Luiz Henrique é o vice Destaque

PSB oficializa Daniel do Sindicato como candidato, Luiz Henrique é o vice

(Por: Geovane José Leandro e Maria Lúcia Barbosa Alvim – GW)

Em convenção cheia de surpresas, realizada na noite desta sexta-feira (05), o Partido Socialista Brasileiro (PSB) oficializou os nomes de Daniel Sabino Vaz – “Daniel do Sindicato”, como candidato a Prefeito e Luiz Henrique Trolle de Barros (PDT) como vice, na chapa que comporá a coligação Viver melhor aqui, composta até então, pelos seguintes partidos: PSB / PDT / PPS / PSL / PHS / PROS / PRB / PT do B / PSDB / PRTB / PMB / DEM / PSOL / PP e PRP.    

Diante da aclamação, a Presidente do PDT, Eliane Leonel ressaltou que este é o momento de Cristalina entender que não se pode acreditar em propostas, onde os fins justificam os meios ruins de se fazer política, e que Cristalina vive hoje, o melhor momento de demonstração da verdadeira Democracia.

Recém-chegadas ao grupo de Daniel do Sindicato, siglas como PSDB, DEM e PP destacaram o fato de aceitarem compor esta, que segundo os mesmos, será uma chapa de vitória por Cristalina. Enfático, o Tucano João Carlos Fachinello Filho destacou que não se pode abandonar companheiros e que este é o momento adequado de poder devolver verdadeiramente Cristalina ao seu povo. Também no ninho tucano, o aplumado João Carlos Fachinello - (atual vice-prefeito), falou ao GW da atitude que, segundo Fachinello, foi desleal e traiçoeira, por parte do grupo político em que ajudou chegar ao Poder. “Mas o mais importante é que agora estamos aqui, fomos muito bem recebidos, abriram as portas, nos oferecendo o espaço ao diálogo e até mesmo, a possibilidade de sairmos vice. Porém, somos sensatos e respeitosos, sabendo compreender que o nome do Luiz – (Henrique), já estava consolidado e chegamos para agregar, não para trair ou desarticular, somos éticos.” Relatou, o Tucano.

Já para o candidato a vice, vereador Luiz Henrique, muitas foram as conversações, os diálogos. “Tivemos momentos em que foi preciso recuar, avançar, sem medo ou dificuldades para aceitar as diferenças, as qualidades e as virtudes que nos levaram a aglutinar forças e reunir os mais de 16 partidos que vieram compor conosco. Nossa responsabilidade, minha e do Daniel representa ter compromisso com 54 mil habitantes cristalinenses.  E isto será realizado com a força de muito trabalho.” Destacou Luiz Henrique Barros.       

Aplaudido por inúmeros participantes, Daniel do Sindicato fez coro às palavras de seu vice, destacando que disputar uma eleição com 04, 05 ou mais candidatos não ser uma tarefa fácil, o que por consequência torna a campanha cara e mais complicada, e que Cristalina seria a mais prejudicada diante de uma situação assim. Por isso, durante os últimos dias, estivemos na busca de apoios, diálogos e entendimentos. Aglutinando portanto, tamanho respeito da comunidade e dos partidos, hoje, aliados. “Não tenham dúvidas de que nossa campanha será uma campanha da sola do sapato, da conversa, do diálogo e do convencimento, que Cristalina precisa mudar. Propomos uma Cristalina que tenha as condições básicas de sobrevivência. Isto na área da saúde, da educação, da segurança, na habitação. “Não se pode conceber a ideia de que em 08 anos, não se tenha construído uma casa popular para a comunidade. Não venderemos lotes, não se pode leiloar o patrimônio público. Desenvolveremos programas de ação habitacional em prol dos moradores de nossa cidade.” Afirmou Daniel.

 

Ovacionado, Daniel do Sindicato reforçou também que estará atento às dificuldades e necessidades dos moradores do Distrito de Campos Lindos e que sua equipe será composta por pessoas do seio cristalinense. “Precisamos valorizar quem é daqui, quem sabe dos problemas da cidade, que conheça os problemas e as soluções para cada bairro.”

Adesões

Com a convenção do PSB, o leque de adesões se firmou com nomes como o de Marquinho Abrão, Wellington Caixeta, Silton Soares, Bispo Moisés, Bernardo Fachinello, João Carlos Fachinello, Rosivaldo Pelota, George de Bortoli, Vitor Simão, Luciana Cândida, Duca e do PMDB que teve como representante do partido, o suplente de vereador Pablo Magela. O presidente da sigla, Vanderlei da Plantebem, jogou a toalha do partido na última hora e não compareceu ao evento do PSB. 

Pinga-Fogo

De Bernardo Fachinello para Daniel: “Na Câmara, sempre tivemos nossos embates políticos, mas de forma respeitosa.”

“Precisamos devolver Cristalina para seu povo.” – João Carlos Fachinello Filho.

De Daniel do Sindicato para João do Faxinal: “Sabemos do sonho e da humildade do João, em ser Prefeito de Cristalina - e que não foi valorizado pela atual administração -, sejas bem-vindo. Agora, somos todos por Cristalina.”

De Daniel para Rosivaldo Pelota: “Sempre terás meu respeito, conheço seu sonho para chegar à Presidência da Câmara e sabemos também da armação que fizeram para lhe derrubar, você tem o meu respeito.”

De Eliane para Daniel: “Nossa política é a política da ética, do respeito, será feita de forma diferente.”

De Daniel para Marquinho Abrão: “Com sua entrada aqui hoje, temos certeza que teremos no mínimo mais 3 mil votos.”  (GW)

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                        

Leia mais ...

Magda Moffato é condenada por improbidade administrativa Destaque

Magda Moffato é condenada por improbidade administrativa

Acolhendo pedidos feitos em ação de improbidade administrativa proposta em 2010, pelo Ministério Público de Goiás, a Justiça condenou da ex-prefeita de Caldas Novas Magda Mofatto, o ex-secretário municipal de Saúde Ricardo Marcel Garcia Gomes e do empresário José Roberto dos Santos por vários atos ilícitos decorrentes de uma licitação fraudulenta para a confecção do cartão dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), o “Cartão SUS”. A decisão do juiz Tiago Luiz de Deus Costa Bentes acolheu a sustentação feita na ação proposta, à época, pelo promotor de Justiça Publius Lentulus Alves da Rocha.

Assim, Magda Mofatto teve seus direitos políticos suspensos pelo prazo de dez anos, deverá pagar multa referente a duas vezes o valor do dano, que foi de R$ 112.616,17, (acrescido de correção monetária) e ainda está proibida de contratar com o poder público pelo prazo de dez anos. Já a Ricardo Gomes e José Roberto dos Santos foram aplicadas as sanções consistentes na suspensão dos direitos políticos por nove anos, pagamento de multa de uma vez e meia o valor do dano e a proibição de contratar com o poder público por nove anos.

Além disso, os três réus foram condenados a promover, solidariamente, o ressarcimento integral do dano, acrescido de correção monetária.

Entenda
Segundo apurado pelo inquérito civil público, durante a gestão da ex-prefeita Magda Mofatto, entre janeiro de 2005 e junho de 2007, foi aberta licitação, na modalidade carta-convite, para contratação de serviço de cadastramento de dados dos usuários do SUS no município e confecção do cartão do sistema de saúde.

A empresa Pires & Santos Ltda Kakis.com, pertencente a José Roberto dos Santos, vencedora da licitação, recebeu inicialmente R$ 68.520,00 para realizar o serviço, que, contudo, já estava sendo executado pelos agentes comunitários de saúde, com orçamento do Ministério da Saúde. Além do valor inicialmente repassado pelo município para a empresa, foi realizado complemento, sem licitação, de R$ 12.496,17 para o serviço, que acabou interrompendo o trabalho dos agentes comunitários com a mesma finalidade.

Consta ainda na ação que, para armazenar os dados colhidos dos usuários do sistema de saúde pela empresa Pires & Santos, uma nova licitação, na modalidade pregão, tipo menor preço, no valor de R$ 31.600,00, custeados pelo Fundo Municipal de Saúde, foi realizada pela ex-prefeita. Neste pregão, objetivou-se a aquisição de palmtops (computadores de mão), que, conforme sustentou o promotor, pertenciam ao patrimônio público municipal, mas não estão em seu poder. Os equipamentos foram entregues a um preposto do grupo Di Roma, pertencente à então prefeita, inexistindo nos autos qualquer documento que evidenciasse o repasse dos objetos ao seu devido proprietário (o município).

Ainda segundo a ação, os dados obtidos pela empresa não puderam ser aproveitados pelo sistema Data SUS para confecção dos cartões, porque eram diferentes da base de dados do Ministério da Saúde. Mesmo assim os cartões foram emitidos. Todos os cartões emitidos foram inutilizados, todo o trabalho realizado pelos agentes comunitários de saúde desperdiçado e o caro serviço prestado pela empresa particular reconhecido como imprestável, dimensionou o promotor.

Além disso, os cartões inservíveis foram confeccionados na cor vermelha, a mesma utilizada na campanha eleitoral da ex-prefeita, trazendo ainda o símbolo da sua administração, o que caracterizou, para o promotor, propaganda eleitoral subliminar. 

Na decisão, o magistrado asseverou que restou demonstrado que houve “o desperdício de tempo e de recursos financeiro e humano, demonstrando a péssima governança, bem como o descaso com o patrimônio público, por meio da elaboração de um edital copiado grosseiramente da internet, não alterando sequer os bairros fictícios do modelo, contemplando cartões SUS em quantidade pífia para abranger todos os usuários do município, e sem conter, sequer, o prazo máximo para o término do serviço”.(Texto: Cristina Rosa / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO - foto: Divulgação – Google /GW )

Leia mais ...
Info for bonus Review William Hill here.